2021 chega ao fim e muitas expectativas previstas para o ano tiveram que ser desfeitas devido à pandemia de coronavírus. Havia a esperança das contaminações cessarem com o avanço da vacinação, mas terminamos o ano com uma nova onda provocada pela variante Ômicron e incertezas no cenário econômico.

Contudo, 2021 foi um ano de inovações e novas tecnologias no segmento de Comércio Exterior e, em 2022, a promessa é de que a desburocratização e o desenvolvimento sigam avançando, gerando um crescimento previsto de 4% ao setor.

Este é o tema do artigo de hoje. Ficou interessado? Continue a leitura!

Lançamento do Portal Siscomex

Uma das novidades registradas em 2021 e que deve facilitar muito as transações no próximo ano foi o lançamento do Portal Único Siscomex, que substituiu o Siscomex Web. Todas as informações ficaram mais claras e precisas neste sistema, facilitando a solicitação de habilitações para atuar no Comércio Exterior. Neste artigo “Habilitação de Radar Siscomex e Revisão de Estimativa Radar Ilimitado” abordamos os principais pontos referentes ao tema.

DUIMP

Tivemos também o aprimoramento da Declaração Única de Importação (DUIMP) que deve reduzir os prazos das transações em até 40%, caindo de 17 para 10 dias. O novo sistema eletrônico do governo federal reúne todas as informações referentes ao controle de importações feito pelos órgãos públicos, conforma abordamos neste artigo.

PNCE

Houve ainda o lançamento do Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) feito pelo Governo Federal com o objetivo de estimular a exportação. A nova ferramenta, 100% digital, vai ajudar micro, pequenas e médias empresas a entrar, cada vez mais, no mercado de exportação. Com o novo serviço, ainda em desenvolvimento, o empreendedor conseguirá fazer um autodiagnóstico de maturidade exportadora e o programa gerará um relatório com um plano de ações para essa internacionalização. Veja todos os detalhes aqui.

Tendências para 2022

Com todo o avanço tecnológico registrado em 2021, o próximo ano promete aumentar o volume de negócios das empresas brasileiras.

A CNI (Confederação Nacional da Indústria) já sinalizou uma projeção de alta de 33,1% nas exportações e de 16,9% nas importações. A expectativa é de que a normalização do fornecimento de insumos e matérias-primas, além da valorização da taxa de câmbio, favoreçam o cenário e tragam resultados positivos.

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19, espera-se que os casos diminuam e os portos voltem a funcionar com capacidade máxima, diferente do que foi registrado em 2021, em que muitas mercadorias ficaram paradas por falta de contêineres e por longos congestionamentos, conforme abordamos aqui.

A expectativa é de que os itens tradicionais do nosso mercado de exportação continuem em alta, como o petróleo, a soja e o minério de ferro, garantindo a expansão dos negócios brasileiros. Outros produtos, como itens voltados à energia solar, também devem ganhar destaque, principalmente pelos incentivos dados pelo governo para esse segmento. Em novembro, por exemplo, o governo brasileiro reduziu a alíquota de importação de painéis solares de 12% para 6%.

Todas as mudanças e expectativas estão alinhadas ao “novo normal” causado pela pandemia do coronavírus. Os mercados ainda estão se adaptando e entendendo as novas demandas dos consumidores, além de estabelecerem outras formas de atuação, garantindo que a economia continue a girar.

Para o próximo ano, a Broker Comex seguirá como um dos principais suportes para quem precisa de assessoria aduaneira. Sempre atualizada e com planos de ações personalizados, a empresa tem as melhores soluções para quem quer atuar ou já atua com importação e exportação.

Feliz 2022 a todos!